expressão

Leia mulheres pretas

Quantas escritoras negras brasileiras você conhece?

por Alexandre Makhlouf Atualizado em 23 set 2020, 18h55 - Publicado em 18 set 2020 01h49
-
Clube Lambada/Ilustração

om a recuperação da memória de Carolina de Jesus pela editora Companhia das Letras, que republicará todos os seus romances a partir de 2021, aproveitamos a oportunidade aqui na Elástica para listar algumas obras essenciais de algumas dessas artistas das palavras. Confira:

-
Editora Ática/Divulgação

Quarto de Despejo – Carolina de Jesus | clique aqui para comprar

Um relato cru sobre a vida de uma mulher preta na comunidade do Canindé, em São Paulo. Obra máxima da autora Carolina de Jesus, publicada em 1960, mas que tem ganhado o devido reconhecimento apenas agora, 60 anos depois.

-
Editora Pallas/Divulgação

Olhos D’Água – Conceição Evaristo | clique aqui para comprar

Nesse livro de contos, Conceição Evaristo narra histórias de outras mulheres pretas, suas mazelas e angústias cotidianas. São mães, esposas, avós, meninas, mendigas, todas formando um caleidoscópio daquilo que é ser uma negra no Brasil.

-
Editora Zouk/Divulgação

Úrsula – Maria Firmina dos Reis | clique aqui para comprar

Considerado o primeiro romance publicado por uma mulher negra no Brasil, Úrsula foi escrito em 1859, e trata do contexto abolicionista da escravidão em São Luís, no Maranhão. A obra é de Maria Firmina dos Reis, compositora do hino antiescravista e educadora, responsável pela fundação da primeira escola mista e gratuita de seu estado natal.

-
Editora Mjiba/Divulgação

Filha do Fogo – Elizandra Souza | clique aqui para comprar

Ativista paulistana, Elizandra Souza reserva os 12 contos de Filha do Fogo à adoração de Xangô. Trata-se de sua estreia no gênero da prosa, após mais de uma década escrevendo poesias.

-
Editora Mjiba/Divulgação

Terra Fértil – Jennyfer Nascimento | clique aqui para comprar

A coletânea de poesias Terra Fértil é a primeira obra de Jennyfer Nascimento, um dos principais nomes da literatura nessa geração. São textos que falam de amor, espiritualidade, maternidade, a luta cotidiana contra preconceitos.

Continua após a publicidade
-
Editora Record/Divulgação

Um Defeito de Cor – Ana Maria Gonçalves | clique aqui para comprar

Um retrato sobre raízes e sobre heranças dilaceradas, Um Defeito de Cor narra a história de uma senhora africana idosa e cega que vem ao Brasil buscar um filho perdido há décadas. Mortes, estupro e escravidão são algumas das memórias que essa senhora tem, memórias tão comuns a tantas mulheres pretas que não alcançam o espaço da literatura.

-
Companhia das Letras/Divulgação

Pequeno manual antirracista – Djamila Ribeiro | clique aqui para comprar

Neste livro, o mais vendido do Brasil no mês de junho deste ano, a autora – que é uma das vozes mais eloquentes do feminismo negro no país – traz dez lições para entender as origens do racismo e como combatê-lo. Djamila também é autora de outros bestsellers, como Lugar de fala e Quem tem medo do feminismo negro?.

-
Editora Jandaíra/Divulgação

Empoderamento – Joice Berth | clique aqui para comprar

A partir de variadas matrizes teóricas, a arquiteta, escritora e ativista traz, neste livro que faz parte da coleção “Feminismo Plurais”, coordenada por Djamila Ribeiro, pensadores que discutem o empoderamento – da conscientização crítica à transformação cotidiana que o termo pode proporcionar.

-
Editora Planeta/Divulgação

Tudo nela brilha e queima – Ryane Leão | clique aqui para comprar

O primeiro livro desta poeta negra, lésbica, professora traz reflexões ora pungentes, ora delicadas, sobre fim de relacionamentos, autoestima e poder feminino. Com quase 600 mil seguidores no Instagram, Ryane é um símbolo de como a literatura contemporânea também pode ter força no ambiente digital.

-
Jarid Arraes / cordel/Reprodução

Não Me Chame de Mulata – Jarid Arraes

O mais popular dos mais de 40 livros que ela já escreveu. Neste, que viralizou na época da publicação, em 2015, ela usa seus cordeis afiados para fazer críticas ao racismo, ao machismo e ao aborto ilegal, entre outros temas.

-
Editora Subsolo/Divulgação

Negra, Nua e Crua – Mel Duarte | clique aqui para comprar

Sensações em forma de poesia. Inquietações, provações, prazeres e angústia. Em seu livro mais recente, a poeta da periferia de São Paulo usa toda sua habilidade com as palavras nas páginas – ela também é conhecida por ser uma voz proeminente no slam.

Continua após a publicidade
mais de
expressão
DJ de sucesso, Eli Iwasa fala sobre a reabertura de sua casa noturna, Caos, no formato de bar, e sobre o novo normal da música eletrônica
Acessando histórias para potencializar memórias afetivas negras
Na terceira reportagem sobre o gênero musical no Maranhão, uma atriz pornô americana vira hit de sucesso
2LK_ELASTICA_1

Elas fazem cinema. No Instagram 

Por
As irmãs Thalita e Gabriela Zukeram, do duo Two Lost Kids, encontraram na criação de conteúdo autêntica a receita para conquistar marcas e seguidores
LUCAS_BOOMBEAT0161-pb

Vai ter bicha no rap, sim

Por
O hip-hop brasileiro se abre finalmente para os rappers LGBTQIA+, com Rico Dalasam, Jup do Bairro, Quebrada Queer e Hiran