expressão

Playlist: Sertanejo de todas as cores

Alice Marcone e Gabeu, nomes pioneiros do queernejo, entregam músicas da sofrência ao agito country para curtir nesse verão

por Redação Atualizado em 7 jan 2021, 11h42 - Publicado em 21 dez 2020 00h01

O sertanejo é, sem dúvida, o ritmo mais ouvido no Brasil. De norte a sul, especialmente no interior, modas de viola e a vertente universitária do gênero rendem milhões de plays nos serviços de streaming e também nas rádios brasileiros. Nada mais justo, então, do que uma de nossas playlists para o fim do ano ter essa temática, certo?

Certo, mas nós vamos fazer do nosso jeito. Este ano, contamos aqui na Elástica sobre o queernejo, um novo recorte dentro do sertanejo que tem como protagonistas pessoas LGBTQIA+. Entrevistamos Gabeu, Alice Marcone e Reddy Allor, artistas que estão fazendo barulho com suas letras que misturam influências pop com sofrência, amor e bom humor.

“Alice e eu tentamos dividir 10 faixas de queernejo, apresentando essa nova vertente e esses novos artistas, cada um com sua proposta e sua singularidade, mistura diferentes ritmos. E as outras dez faixas são do sertanejo raiz, o que a gente considera que seja clássico dentro do gênero. Com certeza também são referência para a gente na construção do nosso queernejo”, conta Gabeu.

“Montar essa playlist foi um ótimo exercício de fim de ano. Como aquelas listas que você faz se prometendo coisas pros tempos vindouros, revisitando seu passado e pensando no que poderia ter sido diferente. Pensar essa playlist é olhar pra hinos que fizeram parte do meu passado, que estão aqui hoje em quem eu sou, plantando também o que eu vou fazer. Tantas vezes odeio certas coisas da cultura sertaneja de onde venho. Amo tantas outras. Fazer essa playlist foi como fazer um balanço e olhar o que desse passado merece ficar e o que precisa ser deixado pra trás”, complementa Alice.

Prepara a bota, a fivela, o lencinho e o coração. Tudo pronto? Play.

Continua após a publicidade
Tags Relacionadas
mais de
expressão
rico-dalasam-01

O Retorno de Rico Dalasam

Por
Depois de um hiato e um cancelamento, o rapper volta com novo álbum sobre afetividade de pessoas negras e relações interraciais
Pelo Brasil afora, drag amazônica chama a atenção para questões ambientais e sociais por meio de sua arte
Agnaldo Timóteo, cantor.

O último cantor do vozeirão

Por
Entrevistei Agnaldo Timóteo em 2018, mas apenas à luz de sua morte vejo essa conversa sobre homossexualidade e homofobia publicada
chorao03

A dualidade de um herói real

Por
Documentário "Chorão: Marginal Alado" mostra ambas as faces de um artista que marcou sua época sendo muito em todos os âmbitos de sua vida
No dia em que ele completaria 80 anos, Helio de La Peña, Jacy Lima, Yuri Marçal e outros humoristas refletem sobre o papel dos negros na comédia brasileira