expressão

Boas novas na sua caixa de entrada

Em um cenário com notícias ruins que se acumulam nas manchetes dos jornais, essas newsletters vão fazer você se sentir abraçado

por Alexandre Makhlouf Atualizado em 19 jun 2020, 21h55 - Publicado em 11 jun 2020 09h44
-
Estúdio Lambada/Ilustração

valanche de informação. Esse parece ser o sentimento generalizado quando o assunto é notícia – se, antes da pandemia, a situação no Brasil já não era exatamente tranquila, depois do #covid19 o volume de dados e fatos a que temos que ficar atentos aumentou muito. 

TV, internet, rádio, podcasts, sites, revistas e jornais estão presentes o tempo todo nas nossas telas – e, não nos entendam mal, é preciso que eles estejam –, mas tem hora que… cansa, né? 

Se você se identificou com esse cansaço, saiba que é absolutamente se sentir assim neste momento. Inclusive, um editorial publicado na revista científica The New England Journal of Medicine, uma das mais respeitadas do planeta, aponta que o número de pessoas com depressão e sintomas de ansiedade deve aumentar neste período de isolamento e quarentena por conta do Covid-19.

Para driblar as bad vibes e ajudar você a se manter são, fizemos uma seleção de newsletters para ficar atualizado sobre assuntos diversos que, na maioria das vezes, não estão nos noticiários. Moda, bem estar, conteúdo LGBTQ, curiosidades, bem-estar e até textos afetivos, daqueles que dão um quentinho no coração, estão no menu do dia. 

Continua após a publicidade
Essa é a foto mais valiosa do jazz. E a história dela foi contada em um dos muitos links que Enrique Jimenez envia em sua news. –
Essa é a foto mais valiosa do jazz. E a história dela foi contada em um dos muitos links que Enrique Jimenez envia em sua news. – LinksInteressantes/Reprodução

#LinksInteressantes

-
Links Interessantes/Divulgação

O título já diz tudo. Sabe aqueles links que você envia para você mesmo por Whatsapp ou e-mail ou salva no Facebook para ler mais tarde, mas nunca lê? O publicitário Enrique Jimenez fez o favor que todos nós (não) sabíamos que precisávamos: uma curadoria de tudo que ele achou interessante por aí em uma newsletter. 

“Sempre guardei links nos favoritos e mandava para os amigos o que tinha a ver com eles. Aí, comecei a fazer uma listona no meu Facebook com esses links e duas amigas me deram um maior apoio pra começar a newsletter, lá em 2018”, lembra. E quando falamos em curadoria, é porque, apesar do nome, cada edição que Enrique produz tem um processo criativo em comum. “Gosto de criar uma história e ir indicando os links, o que funcionou bastante por um tempo sendo semanalmente, mas comecei a perceber, principalmente no ano passado, que não dava pra ser tão linear. Foi, então, que comecei a mandar quando consigo encaixar mais de quatro assuntos (com links interessantes) num mesmo e-mail.”

Desde o começo, Enrique já enviou aproximadamente mil links para seus inscritos, e ele indica aqui dois que marcaram essa trajetória: “Gosto muito de um link com a história por trás da foto mais valiosa do jazz (que juntou um montão de artistas do estilo no Harlem). Na número 7, tem um sobre como a compulsão por tirar foto atrapalha a memória, que gostei bastante e fiquei um tempo procurando por conteúdos similares.” Antes de assinar, só um lembrete: como Enrique busca em sites do mundo todo por informações curiosas, muitos dos conteúdos compartilhados na #LinksInteressantes estão em inglês. 

◊ ◊ ◊ ◊ ◊

Algumas newsletters de Lena são temáticas por ingrediente. Ovo já foi um deles
Algumas newsletters de Lena são temáticas por ingrediente. Ovo já foi um deles Lena Mattar/Divulgação

Lena Mattar

-
Lena Mattar/Divulgação

Se você adora cozinhar em casa – ou se está ficando sem ideias neste período de quarentena –, assinar a newsletter da Lena Mattar vai te fazer um bem danado. Publicitária e sommelière pela Le Cordon Blue de Paris, ela acredita que comer é muito mais do que satisfazer o apetite e, por isso, compartilha receitas saborosas e fáceis de fazer a cada 15 dias, além de dar dicas de vinhos, de leitura e de podcasts sobre gastronomia. “Minha culinária é fácil, acessível financeiramente e que desempenha um papel de tirar as pessoas da rotina. São sabores diferentes, receitas que normalmente não são brasileiras, porque acho que fazer essa receitas tão típicas nossas – que eu amo, mas que acabam sendo do dia a dia – pode contribuir para uma rotina de obrigação, e acho que existe muito prazer e diversão em cozinhar”, defende.

Trabalhando há 10 anos com comunicação gastronômica, Lena começou sua newsletter há pouco mais de um ano também pensando em criar uma nova fonte de renda para seu negócio. Isso não significa, no entanto, que ela não se divirta (muito) na produção das edições. “Os dias de foto são intensos, mas muito gostosos. Fotografo com um grande amigo e ex-sócio e pesquiso muito para chegar nas receitas da quinzena. Mais do que inspiração, gosto de falar em referência”, comenta, sobre os passo a passos que ensina. Ela lembra também a responsabilidade que é ter acesso direto à caixa de entrada de seus mais de 7 mil inscritos. “A concorrência dentro da caixa de e-mail é alta e tomo cuidado para não mandar conteúdo demais, porque todo mundo tem muita coisa para ler. Quando você respeita esse espaço, a interação também é diferente. Recebo algumas dicas de pessoas que assinam, fotos das receitas feitas e acho isso muito gratificante. É especial saber que alguém fez uma receita sua no Dia das Mães ou no aniversário do filho pequeno.”

Quase como uma mãe, que não consegue escolher o filho preferido, Lena lembra de uma newsletter em especial que, apesar de toda a dedicação que ela teve, a performance não foi das melhores. “Encafifei que queria fazer uma sobre anchovas, que é um paladar recentemente adquirido por mim e virou uma paixão. O título era ‘precisamos falar sobre anchovas’. Eu sabia que esse é um ingrediente polêmico (risos), mas fico muito feliz de ter insistido em fazer. Tento sempre achar um equilíbrio entre as coisas que agradam as pessoas sem deixar minha vontade de lado.”

◊ ◊ ◊ ◊ ◊

Natacha Ramsay-Levi, estilista da Chloé, e modelo que veste as roupas da marca
Natacha Ramsay-Levi, estilista da Chloé, e modelo que veste as roupas da marca Giusletter/Reprodução

Giusletter

-
Giusletter/Divulgação

O nome pode causar algum estranhamento na primeira lida, mas o trocadilho entre o nome da jornalista Giuliana Mesquita e o formato de newsletter tem razão de ser. Dona de textos afiados e cheios de personalidade sobre o cenário da moda brasileira e internacional, ela escreve sobre esse universo em uma news com críticas de desfile e análises de mercado, levando em consideração a situação sócio política que envolve a indústria. 

“Comecei a Giusletter porque sentia falta de um espaço só meu, onde pudesse dar minhas opiniões sobre qualquer coisa. Como estamos com poucas revistas de moda e poucos sites mais críticos sobre isso no Brasil, sentia falta de escrever textos maiores do que os que eu já escrevo em meu Instagram. O formato de newsletter é algo que as pessoas estão gostando neste momento por receber diretamente em seus e-mails, não é mais um link para você entrar. A resposta tem sido boa, várias pessoa respondem quando eu envio”, ela explica.

Continua após a publicidade

Não se engane: a Giusletter é um produto jornalístico que, vez ou outra, pode conter furos como a denúncia de assédio a Eduardo Costa, dono do Brechó Replay, acusado de assediar modelos, que saiu primeiro nessa newsletter e, depois, virou matéria na Folha de S.Paulo. Ainda que não possa cravar uma periodicidade – uma vez que ela escreve sua newsletter entre uma reportagem e outra para os diversos veículos em que colabora –, pode assinar e esperar por bastante conteúdo nas em épocas de semanas de moda internacionais, São Paulo Fashion Week e Casa de Criadores. Você também confere reportagens de Giuliana aqui na Elástica.

◊ ◊ ◊ ◊ ◊

-
Mercado do Porto/Reprodução

Mercado do Porto

-
Mercado do Porto/Divulgação

Bruna Waitman é formada em administração pública e trabalha com educação, mas escreve textos autorais e sensíveis semanalmente em sua news para esquentar o coração às terças à noite. Até no nosso papo sobre sua newsletter ela destila um pouco do afeto que coloca semanalmente em seus textos: “Um bilhete dentro de uma garrafa, um marinheiro de partida, um produto que chega do outro continente, um reencontro. A maré subiu, a manhã é de ressaca, a Lua está cheia. Tem sereia, peixe-espada e onda quebrando dentro da concha. Golfinho é mamífero e sabe dançar. Cada onda é um pedido. As ilhas são solitárias e amam âncoras. Se quiser saber de proteção, o papo é com Iemanjá. Para lavar a alma, mergulho. O porto é seguro. Vem.”

Desde janeiro de 2017, Bruna envia uma carta por semana, que “chega do mar na sua caixa de entrada”. Assim como em um mercado de um porto, suas newsletters tem um pouquinho de tudo. A inspiração vem dos mais diversos lugares, de textos e livros a fotos que ela recebe de pessoas queridas ou faz em seu cotidiano. Uma coisa, no entanto, é denominador comum: o amor e o tom de acolhimento – todas elas são assinadas com “Beijos, Bru”.

Mais do que espalhar uma energia mais positiva para seus 360 inscritos, Bruna conta também sobre a importância que o exercício de escrever tem em sua rotina. “Criar as cartas é mais ou menos como estar em uma ilha e colocar uma bilhete dentro de uma garrafa, botar no mar e deixar ela chegar nas mãos de quem tem que ler ela. Escrever toda semana é se permitir acertar e errar.” Confesso ser difícil falar sobre a Mercado do Porto quando ela é a newsletter preferida deste que vos escreve, então termino esse texto dando a dica que sigo sempre que recebo uma nova edição: escolho um momento de calma para ler. Pode ser antes de dormir, quando estiver em trânsito indo trabalhar ou precisando de um respiro no meio do dia.

◊ ◊ ◊ ◊ ◊

-
Vânia Goy/Reprodução

Belezinha

-
Belezinha/Divulgação

É praticamente impossível consumir conteúdo de beleza na internet sem saber quem é Vânia Goy. Jornalista e expert em skincare e bem estar, ela comandou a editora beauty na Marie Claire durante anos para, depois, se lançar em carreira solo, fundar o Belezinha e atuar como consultora neste mercado. Segui-la no Instagram é um capítulo à parte – um dos feeds mais bonitos que você vai ver hoje, com certeza –, mas Vânia sentia que aquela plataforma ainda não atendia a todas as suas necessidades. “Eu andava com vontade de escrever textos maiores, de mais fôlego, e achei que esse era o melhor caminho. Só fica na lista quem lê e quem lê realmente acompanha e responde. Tenho trocas muito ricas com leitoras que me falam de suas práticas, leituras, e até de momentos emocionalmente desafiadores e inspiraram novos começos”, conta Vânia, que há um ano e meio envia sua newsletter, hoje para pouco mais de 5 mil inscritos.

E não pense que o conteúdo fica restrito a reviews de produto e outras especificidades do mercado de beleza. A inspiração, para ela, vem de todos lugares – e, uma vez no mês, a newsletter do Belezinha traz dicas de coisas para ler, assistir, ouvir e provar que não necessariamente estão nesse universo. “Porque beleza é tudo o que ajuda a gente a viver bem, de um jeito mais gostoso”, defende Vânia. Para ela, que transita bem no meio digital e fala abertamente sobre a velocidade maluca dos lançamentos, por exemplo, e como isso também pode ser uma fonte de ansiedade para quem está sempre consumindo conteúdo, as newsletters ainda são uma das melhores plataformas para quem gostar da troca e da leitura com calma. “Acho interessante como as pessoas retomam textos antigos e respondem, um ano depois, falando que andam colocando sugestões em prática. É muito bonito e um tanto mais íntimo do que as redes sociais. Me inspiro nas coisas que estou lendo, nos desejos contemporâneos por mais pausa, silêncio e natureza”, pontua.

◊ ◊ ◊ ◊ ◊

William Dorsey Swann, uma das primeiras drag queens do mundo, era negra e ex-escrava
William Dorsey Swann, uma das primeiras drag queens do mundo, era negra e ex-escrava EMANA/Reprodução

Emana

-
Emana/Divulgação

Pequenas doses de referências essenciais sobre orgulho e resistência LGBTQ+, selecionadas a dedo por pessoas LGBTQ+ e para todos, enviadas a cada 15 dias em uma newsletter. É assim que o publicitário Danilo Novais define sua newsletter, que começou no final de 2019. Desde então, ele usa este canal para espalhar links explicativos – às vezes mais diretos, às vezes mais afetivos – sobre notícias, estudos e outros assuntos de interesse da comunidade LGBTQ+

“Minha principal motivação foi a necessidade de nos mantermos firmes e fortes enquanto comunidade num momento tão conservador e que, devido ao cenário, tudo parece conspirar contra a nossa existência”, afirma. Representatividade, fake news, carnaval como fervo político e outros temas ganham roupagem colorida e visualmente atraente em suas edições. “Além disso, existem poucas mídias proprietárias LGBTQ no Brasil. Por isso, a ideia de criar uma fonte de informação para pessoas LGBTQ e aliados”, explica, ressaltando sempre a importância da representatividade e da conscientização geral, não só de pessoas LGBTQ+, sobre esse universo.

Continua após a publicidade
-
Arte/Redação

Rodada bônus

Duas newsletters gringas para quem está na pegada de ser produtivo e aprender coisas novas durante a quarentena

The Isolation Journals
Todo dia, a escritora Suleika Jaouad envia um tema para exercitar a criatividade. Ela, que já ganhou um Emmy, propõe exercícios para não deixar a cabeça parada em tempos de quarentena. Em inglês.

Dexigner
Duas vezes por semana, essa news traz notícias, concursos e eventos para designers, artistas, arquitetos, ilustradores e outros criativos. Ótima para ficar ligado no que está rolando no mercado. Em inglês.

E por falar em newsletter

mais de
expressão
rico-dalasam-01

O Retorno de Rico Dalasam

Por
Depois de um hiato e um cancelamento, o rapper volta com novo álbum sobre afetividade de pessoas negras e relações interraciais
Pelo Brasil afora, drag amazônica chama a atenção para questões ambientais e sociais por meio de sua arte
Agnaldo Timóteo, cantor.

O último cantor do vozeirão

Por
Entrevistei Agnaldo Timóteo em 2018, mas apenas à luz de sua morte vejo essa conversa sobre homossexualidade e homofobia publicada
chorao03

A dualidade de um herói real

Por
Documentário "Chorão: Marginal Alado" mostra ambas as faces de um artista que marcou sua época sendo muito em todos os âmbitos de sua vida
No dia em que ele completaria 80 anos, Helio de La Peña, Jacy Lima, Yuri Marçal e outros humoristas refletem sobre o papel dos negros na comédia brasileira